Lendas e tradições

DANÇAS E CANTARES
Da década de 30, chegam-nos algumas danças e cantares típicos da região da Gândara, que se apresentavam durante as desfolhadas ou descascade1as, reta1hade1as (termo Gandarês) e romarias. São exemplo dessas modas, as Marchas com o pote, uma bilha de água enfeitada com flores que as raparigas transportavam à cabeça; o Malhão; várias modas de roda; o Verde Gaio; e o s Viras Gandareses, Mandado, Corrido e de Quatro. Actualmente, são os grupos folclóricos que tentam reconstituir estes serões e passatempos do passado. Efectivamente, o povo Gandarês era muito divertido e alegre, pois sempre encontrava motivos para cantar e dançar, fosse o adormecer dos filhos, o suportar as saudades dos maridos que se ausentavam para trabalhar, a labuta diária, quer caseira, quer na lavoura, no caminho do trabalho ou no regresso a casa, mesmo quando os tempos eram difíceis.
 
TRAJES CARACTERISTICOS
De acordo com documentos antigos desta região, recuperam-se os trajes da região da Gândara, que algumas tremoceiras, hoje em dia ainda usam, quando se dirigem às feiras da Praça da Tocha­ para venderem os seus produtos; de noivos; de lavradores ricos e remediados; de meia Senhora; de Teres e Haveres; de Domingueiros; de Ver a Deus; de Festa e Romaria; de Bairradina; de Romeiros a Vagos; de mulher de Cantanhede; de Moleiros; de Feirantes; de Vindimadores; de pescadores; de Vendedores de peixe; de Ceifeiras; e de outras actividades da época.
 
Trajes de Domingueiro e Romaria: Os homens usam chapéu preto ou castanho, colete liso ou aos quadrados, camisa em linho, calças pretas ou castanhas em lã, faixa preta em linho tingido e botas em couro. As mulheres, por outro lado, trajam lenço em merino, colete em merino preto, blusa branca em algodão, saia de baeta e armur, avental em merino, seda ou veludo, meias em algodão feitas à mão e chinelas pretas de verniz. Como roupa interior vestem saias brancas de algodão ou linho, saiote liso ou aos quadrados vermelhos e colete de algodão ou riscado.
 
Traje Domingueiro: A mulher usa colete de algodão preto, blusa de algodão, saia bordeaux em armur com barra preta de veludo, meia branca em algodão, chinelas de verniz. Como roupa interior veste saia branca com bordados, saiote de flanela vermelha e colete riscado. O homem traja chapéu castanho, camisa em linho, colete castanho em lã com frentes lisas e costas aos quadrados, calça em lã, faixa de linho tingido e botas em couro.
 
Traje de Trabalho: As mulheres usam chapéu de palha, lenço de algodão, colete de linho tingido, blusa de riscado ou chita, saia de chita ou riscado, avental de chita ou riscado, saiote de flanela e calçam socas.
Os homens usam chapéu de palha, colete de cotim com costas de riscado, camisa de riscado ou linho, calças de cotim ou linho, ceroulas em riscado e calçam também socas.
 
Traje Gandarês: xaile preto de fazenda de lã, ou xaile preto de 8 pontas de merino para os dias de festa; chapéu preto com pena de pavão, saia preta rodada e comprida, blusa, avental, lenço para o cabelo, tamancas, meias tricotadas, brincos de meias libras e cordões de ouro com peças antigas do mesmo metal.
 
JOGOS E BRINQUEDOS TRADICIONAIS
De acordo com as memórias dos mais velhos, recuperaram-se os jogos da ma1ha (de salão ou de rua), da corrida de sacos e do pau ensebado, passatempos das tardes de domingo e das romarias, desde a década de 20.
 
Actualmente, estes jogos são praticados ainda nas tardes de domingo, nas festas da vila e aquando das comemorações de aniversários das diferentes colectividades locais.
Recuperaram-se, igualmente, alguns brinquedos tradicionais como, o pião de madeira e as bajotas que vinham dentro das garrafas dos pirolitos de outrora.